Vânio Bossle: “Artifícios criminosos para se livrar das leis da Justiça”

contato@jornalconexao.com.br

COMPARTILHE ›

banner-topo-cabeçalho-vanio-bossleIrracionalidade, desfaçatez, falta de vergonha na cara, imoralidade correndo solta, são alguns “exemplos” do que políticos e partidos brasileiros vêm usando como artifícios descaradamente criminosos para se livrar das leis da Justiça. Nesta semana, por exemplo, o presidente da câmara Eduardo Cunha, flagrado com dinheiro sujo na Suíça e sob investigação da polícia federal, da Procuradoria Geral da República e do STF conseguiu barrar e suspender, com manobras escusas, a primeira reunião do Conselho de Ética que tinha em pauta vários pedidos de cassação do seu mandato. Cunha que num depoimento na CPI da Petrobrás havia declarado que não tinha dinheiro escondido no exterior mas, foi desmascarado depois, com documentos recolhidos em bancos suíços. Numa outra “explicação” Cunha disse que o dinheiro era fruto de venda de exportação de carne para os redutos da África, ou seja, se apresentou como autêntico açougueiro que vendia carne moída para o exterior.

E sob poder, em sua gaveta, de uma ferramenta que pode decretar o impeachment da Presidente Dilma, Cunha promoveu uma chantagem. Que os parlamentares do PT e da base aliada se escondam da sala de reunião da Comissão de Ética ou o processo contra Dilma vai para o plenário da Câmara.

E assim, os cidadãos de bem deste Brasil vão tendo que aturar bofetadas e mais bofetadas na cara disparadas por figuras públicas que ridicularizam as leis, esnobam e debocham da Justiça e trocam o instituto da imunidade pela impunidade.