Connect with us

CRIME

Transexual é assassinada dentro de apartamento em Canasvieiras

Publicado em

Uma transexual foi morta na tarde desta quinta-feira (07) na Praia de Canasvieiras no Norte da Ilha. O corpo foi encontrado dentro de um apartamento, onde ela morava, com marcas que teriam sido feitas por uma barra de ferro que foi encontrada dentro do imóvel. A identidade da vítima não foi confirmada pelo delegado Ênio Matos, da Delegacia de Homicídios, responsável pela investigação, mas o Conexão confirmou com outras fontes que ela se chamava Kamylla. O delegado apenas informou que a família da vítima era de São Paulo, mas não confirmou se foi feito contato com os familiares.

LEIA AINDA:
– Marcado júri popular para o jovem que confessou matar Jennifer
– Acusado diz que não houve discussão com Jennifer, mas não gostou de carícias

– “Minha mãe chora todos os dias”, diz irmã da transexual assassinada em Ingleses
– Divulgada foto do jovem suspeito de matar a transexual Jennifer
– Polícia reconstitui últimos momentos de Jennifer com o auxílio de videomonitoramento

A barra de ferro usada para o crime foi levada para a análise pericial para identificar se existem impressões digitais que possam levar a suspeitos do crime. Uma fonte disse ao Conexão que Kamylla havia alugado recentemente um imóvel em Canasvieiras e mantinha um relacionamento, mas não disse com quem. A mesma pessoa comentou que a família foi comunicada da morte e que estão em deslocamento para a liberação do corpo no Instituto Médico Legal (IML).

O delegado Ênio Matos, da Delegacia de Homicídios, afirmou que o caso já está em investigação e que tem suspeitos, mas não revelou quais linhas de investigação estão andamento. Esta é a segunda transexual morta em um ano e três meses no Norte da Ilha. “Já foi identificada. Os familiares eram lá de São Paulo”, disse o delegado.

CASO JENNIFER

Transsexual Jennifer do Santinho é assassinada no Norte da Ilha

Foto: Arquivo Pessoal

A conhecida transexual Jennifer Célia Henrique (Jenni), então com 38 anos, foi encontrada morta pela polícia na manhã de sexta-feira, 10 de março de 2017, em um terreno nas proximidades do Angeloni dos Ingleses. O crime chocou a legião de fãs que seguiam a Jenni, nativa da Praia do Santinho, pelas redes sociais. Inclusive, ela atuava como representante em venda de cosméticos. O responsável pelo crime foi preso, e segundo a Polícia Civil, confessou o crime. Dik Greison Isidoro da Silva, de 24 anos, vai a júri popular pelo crime em 26 de julho, às 13h30, no Fórum de Florianópolis.

Leia mais

ANÚNCIO

48 9625 8881

[email protected]

48 3365 8189

Acontecendo