conecte-se conosco

EXPLICAÇÃO

Superlotação das residências pode deixar energia em meia fase, diz Celesc

Publicado em

Superlotação da residências pode deixar energia em meia fase, diz Celesc
Superlotação da residências pode deixar energia em meia fase, diz Celesc

Foto: Emanuel Soares / Jornal Conexão Comunidade

A superlotação das casas e apartamentos, fato normal para a época de veraneio, pode deixar a energia em meia fase, segundo a Celesc. As praias registram grande movimento, desde a virada do ano. A empresa diz que esse fato, associado ao aumento do consumo devido, principalmente, ao uso de aparelhos de ar condicionado e freezers além do previsto, acabam exigindo mais do que a rede está dimensionada, provocando os curto-circuitos e a consequente falta de energia.

Essa é a explicação da empresa para as constantes reclamações dos moradores dos problemas de meia fase e quedas de luz no Norte da Ilha, mesmo após a entrada em funcionamento de uma nova subestação ao valor de R$ 10 milhões. O presidente da Celesc, Cleverson Siewert, disse ao Jornal Conexão Comunidade que os problemas serão investigados.

Na rede de alta e média tensão, a capacidade instalada no sistema Celesc para atendimento da demanda em todo o Estado é maior que a necessidade atual, ou seja, existe energia disponível para todos. No entanto, o sistema de baixa tensão, formado pelos ramais de distribuição que chegam a cada rua nas cidades e em cada unidade consumidora, é projetado para atender a uma determinada carga, que é a quantidade de energia elétrica necessária para atender cada casa, cada unidade comercial e a iluminação pública. Quando essa carga, porém, aumenta além do limite para o qual o sistema foi dimensionado, ela pode provocar sobrecarga na rede, com curtos-circuitos e até queima de transformadores.

Superlotação da residências pode deixar energia em meia fase, diz Celesc

Foto: Emanuel Soares / Jornal Conexão Comunidade

Muitas dos problemas registrados neste início de temporada conta de ocorrências específicas do sistema de baixa tensão. “É preciso, portanto, que os moradores fiquem atentos à capacidade da rede para atendimento das residências e comércio”, diz a empresa.

A Celesc diz que entre os dias 23 de dezembro de 2016 e 5 de janeiro de 2017, período de maior movimentação de turistas e, consequentemente, maior consumo de energia elétrica, aponta que a companhia conseguiu importante diminuição dos índices da Duração Equivalente de Interrupção por Unidade Consumidora – DEC, e na Frequência Equivalente de Interrupção por Unidade Consumidora – FEC, indicadores de qualidade na distribuição de energia exigidos pela agência reguladora do setor, a Aneel.

Sobre o registro de falta de energia na praia dos Ingleses, os dados deste relatório apontam que no Norte da Ilha, onde foram investidos R$ 10,8 milhões na subestação dos Ingleses, energizada em novembro passado, com capacidade instalada de 26,6 MWA, o que ampliou em 25% a oferta de energia para cerca de 60 mil unidades consumidoras, o DEC, que é o tempo das quedas de energia, caiu 69% e o FEC, que é a frequência com que as quedas acontecem, diminuiu 88% em relação ao mesmo período do ano passado, uma das maiores reduções se comparada a outras regiões do estado, dados estes monitorados pelo órgão regulador e auditados por ISO 9000 disponíveis a qualquer tempo.

Continue lendo

ANÚNCIO

ENQUETE

Você concorda com a possível liberação de pets nas praias?
Sim, tenho um pet em casa
Não, pode transmitir doenças
Ver Resultados

48 9625 8881

[email protected]

48 3365 8189

Acontecendo