Silvio Souza: “Não priorize vendas, priorize relacionamentos”

contato@jornalconexao.com.br

COMPARTILHE ›

colunista-silvio-bannerRecentemente foi efetuada uma pesquisa pelo Jornal Conexão Comunidade (JCC), objetivando medir a satisfação dos consumidores em relação ao atendimento do norte da ilha de Florianópolis.

Fiquei impressionado com o resultado.

Setenta por cento, eu disse 70% dos que responderam à pesquisa se mostraram insatisfeitos com o atendimento de nosso comércio.
Isto “arrebenta” com qualquer negócio. Imagina você que, de cada 10 clientes que entram em um estabelecimento comercial, sete sairão insatisfeitos.
O que você acha? Este cliente volta ou não volta?
Claro que não volta e o que é pior falará para outras pessoas.

Obviamente que, como a pesquisa não explorou detalhadamente os motivos, esta insatisfação poderá estar ligada a preço, a demora no atendimento, a cerveja quente, a falta de estacionamento, ao telefone que toca 10 vezes sem que ninguém atenda, a qualidade do produto, etc. Eu acredito por experiência própria que o principal motivo seja a indiferença no atendimento.

Antigamente quando alguém não tinha profissão procurava se empregar como vendedor.  Tipo assim:  não sabe fazer nada, vá ser vendedor. Caros leitores, vendedor é uma profissão que exige muito preparo dos profissionais. Fui e ainda continuo sendo vendedor e saibam que muito me preparei para que tivesse sucesso na profissão.

Atender bem é muito simples: É NÃO PRIORIZAR VENDAS, É PRIORIZAR RELACIONAMENTOS. Os nossos atendimentos estão basicamente focados em vender.  Os que estão tendo sucesso já entenderam que vender é consequência.  É o início de um processo de relacionamento.

O mais grave de tudo isto é que infelizmente   já acostumamos com isto e até estamos achando normal. Não damos mais atenção.

Errado…Não caia nesta armadilha.  Troque de estabelecimento, reclame. Faça a sua parte.

O bom atendimento deveria ser uma obrigação, mas atualmente estamos vendo como um diferencial.  Até elogiamos quando somos bem atendidos. Absurdo.
A nossa “SORTE” é que estamos em uma região turística. Imagina o que seria de nós se esta região não fosse turística. Sendo turística está deste jeito.

E a você, caro leitor, sendo um dono de estabelecimento comercial, dê uma avaliada de como esta seu atendimento. Preocupe-se com isto ou irá continuar reclamando da crise.

Como consultor, afirmo que é muito fácil mudar uma situação desta, basta treinar, treinar e treinar sua equipe. Não adianta? Troque. Contrate gente que goste de gente.

Quando falo equipe, estou me referindo ao atendente, vendedor, garçom, caixa, o rapaz do estacionamento, ao empacotador, e também obviamente a você, proprietário.

Você como proprietário, se também estiver achando isto como normal, tome cuidado, seu concorrente poderá não estar achando.

Até breve.