IMPASSE

Secretários demitidos de escolas não aceitam contrato terceirizado

Eles exigem que o prefeito encaminhe um novo projeto em caráter de urgência, com a finalidade de recriar o cargo

COMPARTILHE ›

A reunião dos secretários escolares com o Secretário Municipal de Educação, Maurício Pereira, na manhã desta sexta-feira (3), terminou em impasse. A proposta de contratação por uma empresa terceirizada não foi aceita pelo grupo de 21 secretários presentes à reunião.
Os secretários exigem que o prefeito encaminhe um novo projeto em caráter de urgência, com a finalidade de recriar o cargo comissionado.

Segundo os secretários, a terceirização vai reduzir o salários que anteriormente recebiam, quando estvam em cargo comissionado.

O cargo de secretário escolar foi extinto pela reforma administrativa encaminhada pelo prefeito Gean Loureiro para votação e aprovada na Câmara de Vereadores, nesta última semana.

Os diretores escolares ficaram sabendo da exoneração dos secretários, 12 horas antes de iniciar o período de matrícula para os alunos novos na rede municipal de ensino em Florianópolis. Diante da situação, a prefeitura transferiu a data de início das matrículas.

Em entrevista ao Jornal Conexão Comunidade, o secretário afirmou que a contratação terceirizada sairá mais caro para os cofres públicos, mas que esta é solução encontrada para resolver a questão no momento. O período de matrículas foi transferido para o dia 6 de fevereiro.

Os secretários são responsáveis pelos processos de matrícula e documentação das instituições, bem como os registros da vida escolar dos alunos. Um dos cargos mais importantes nas instituições escolares.

A Secretaria Municipal de Educação não atendeu às ligações do Jornal Conexão Comunidade para informar se o período de matrículas se mantém de 6 a 10 de fevereiro, mesmo sem secretários nas escolas.