Connect with us

POLUIÇÃO NAS PRAIAS

Prometidas para janeiro, fiscalizações na rede de esgoto ainda não começaram

Publicado em

Foto: Luzia Vidal / Jornal Conexão Comunidade

A balneabilidade desastrosa da temporada de verão, quando boa parte das praias do Norte da Ilha permaneceram impróprias para banho, ainda não surtiu efeito prático na administração municipal. A retomada das fiscalizações nas redes para identificar ligações clandestinas de esgoto não começaram, após a prefeitura prometer para janeiro uma ação específica na área. O programa ‘Floripa se Liga na Rede’ não deu um passo prático no governo Gean Loureiro, desde que o convênio com a Casan que garantia uma parceria na fiscalização acabou na gestão do ex-prefeito César Souza Júnior.

VEJA AINDA:
– VÍDEO: Delegado de polícia reclama publicamente da poluição no Rio Capivari
– VÍDEO: Prefeitura responde delegado após denúncia de poluição em Ingleses
– Prefeitura e Casan vão realizar obras para ligar esgoto de residências

Agora, a nova promessa de retomada é junho com a mesma proposta noticiada pelo Conexão no ano passado, com prefeitura e Casan atuando na realização de obras para ligar o esgoto das residências ou comércios. O valor será cobrado na conta de água e esgoto de forma parcelada. “Estamos em vias de lançar o programa no início de junho. Estamos fazendo os ajustes finais. Estamos nos reunindo com a associação comercial, associação de bares e restaurantes, indústria hoteleira para fazer um ajuste fino na proposta do programa”, disse Lucas Arruda, superintendente de Habitação e Saneamento do município.

O próprio superintendente foi quem prometeu uma ação fiscalizatória na primeira semana de janeiro, algo que não se tornou realidade até o momento, já que o mar em frente o Rio Capivari em Ingleses permanece impróprio para banho. A promessa ocorreu após o delegado de polícia, Wanderley Redondo, divulgar um vídeo denunciando os problemas de poluição no rio. A primeira promessa de retomada das fiscalizações na rede de esgoto foi dezembro do ano passado.

Ponta das Canas, no Norte da Ilha, ainda permanece imprópria para banho segundo as análises do Instituto do Meio Ambiente (IMA) – antiga Fatma. Lá, nem fiscalizações ocorreram para identificar o que pode estar poluindo as águas de uma das praias mais procuradas por famílias por conta do mar tranquilo.

Questionada sobre o que motiva os atrasos e a falta de fiscalização emergencial nas redes de esgoto, a Prefeitura de Florianópolis ainda não se manifestou.

FISCALIZAÇÃO E OBRA DE ADEQUAÇÃO

O novo conceito será oferecido de duas maneiras ao cidadão. A obra poderá ser executada pelos técnicos do município ou o morador responsável pela residência vai contratar empresas credenciadas pelo poder público para a regularização da ligação de esgoto. Desta forma, as empresas vão realizar todas as obras necessárias para que nenhuma irregularidade conste na hora de despejar os efluentes na rede pública.

“Já estamos em licitação com o programa Floripa Se Liga na Rede que vai reforçar o Sanear Floripa que tem o objetivo de fazer a coordenação das ações. O Se Liga na rede será o braço operacional, mas não com o objetivo de fiscalização, e sim para regularização. O que observamos foi que uma ação de fiscalização que resulta em multa custa três vezes mais que a multa recuperada. A gente vai investir em fazer na casa das pessoas regularizar o sistema com obras e cobrar do proprietário em 10 parcelas”, disse Lucas Arruda em novembro de 2017.

EM VÍDEO, PREFEITURA PROMETE FISCALIZAÇÃO EM JANEIRO

Leia mais

Acontecendo