DIAS 14 E 15

Procurador da força-tarefa da Lava Jato participa de evento no Norte da Ilha

COMPARTILHE ›
Procurador da força-tarefa da Lava Jato participa de evento no Norte da Ilha
Foto: Câmara dos Deputados

O procurador regional da República Vladimir Aras, secretário de Cooperação Jurídica Internacional da Procuradoria-Geral da República (PGR) na Operação Lava Jato e junto à força-tarefa global da Lava Jato e aos monitores independentes, vai realizar uma palestra de abertura do Congresso de Auditoria, Gestão de Riscos e Compliance, organizado pelo Instituto ARC em um hotel de Jurerê Internacional.

Aras, vai relatar a experiência de estar envolvido em uma das investigações mais importantes já realizadas no Brasil. Ele afirmou em fevereiro que esquemas corruptos paralelos estavam para ser revelados pela Lava Jato e atingiriam outros países. A entrevista foi concedida ao jornal O Estado de São Paulo (Estadão).

A palestra de Aras ocorre na abertura oficial do evento no dia 14 de setembro, às 8h no hotel Il Campanário Resort.

Também participarão do evento renomados especialistas, como os ex-ministros-chefes da Controladoria-Geral da União (CGU) Jorge Hage e Luiz Navarro, que irão abordar em suas palestras os temas “Compliance nas Estatais” e “O Compliance e a Alta Administração”, respectivamente.

Atualmente, Jorge Hage e Luiz Navarro são sócios da Hage, Navarro, Fonseca, Prudêncio e Suzart Consultoria em Compliance, juntamente com os coordenadores do congresso INTEGRA Paulo Suzart e Anne Caroline Prudêncio.

DIREITOS HUMANOS

Paulo Suzart será um dos palestrantes do painel 1, que abordará o tema “O Compliance e a Não Violação dos Direitos Humanos”, no dia 14, às 11h. Os pontos mais relevantes que serão tratados no painel são: assédio moral e sexual; trabalho análogo à condição de escravo; exploração de mão de obra infantil; a condição da mulher; maternidade; paternidade; diversidade religiosa; diversidade sexual; a condição do deficiente; e a condição do negro: racismo.

LAVA JATO

A Operação Lava Jato é um conjunto de investigações em andamento pela Polícia Federal do Brasil, que cumpriu mais de mil mandados de busca e apreensão, de prisão temporária, de prisão preventiva e de condução coercitiva, visando apurar um esquema de lavagem de dinheiro que movimentou bilhões de reais em propina. A operação teve início em 17 de março de 2014 e conta com 45 fases operacionais, autorizadas pelo juiz Sérgio Moro, durante as quais mais de cem pessoas foram presas e condenadas. Investiga crimes de corrupção ativa e passiva, gestão fraudulenta, lavagem de dinheiro, organização criminosa, obstrução da justiça, operação fraudulenta de câmbio e recebimento de vantagem indevida.

De acordo com investigações e delações premiadas recebidas pela força-tarefa da Operação Lava Jato, estão envolvidos membros administrativos da empresa estatal petrolífera Petrobras, políticos dos maiores partidos do Brasil, incluindo presidentes da República, presidentes da Câmara dos Deputados e do Senado Federal e governadores de estados, além de empresários de grandes empresas brasileiras. A Polícia Federal considera-a a maior investigação de corrupção da história do país.