REPERCUSSÃO

Portal Uol destaca em reportagem nacional morte da Transsexual Jennifer

Investigação mudou da delegacia de Homicídios para a 8ª Delegacia de Polícia dos Ingleses em Florianópolis

COMPARTILHE ›
Protesto é organizado para pedir Justiça pela morte de Jennifer
Foto: Arquivo Pessoal

O Portal Uol, que pertence ao jornal Folha de São Paulo, publicou neste domingo (19) uma reportagem nacional que retrata a repercussão negativa de uma declaração do delegado Ênio de Oliveira Mattos ao dizer que a transsexual Jennifer Celia Henrique (Jenni), 38 anos, era uma “prostituta” e que a morte dela foi resultado de uma “transa mal acertada”. Após a polêmica, a investigação mudou da delegacia de Homicídios para a 8ª Delegacia de Polícia dos Ingleses em Florianópolis e está a cargo do delegado Eduardo Mattos, ouvido na semana passada pelo Jornal Conexão Comunidade (JCC).

LEIA A REPORTAGEM COMPLETA

O delegado afirmou ao JCC que está usando imagens de videomonitoramento para fazer uma reconstrução dos últimos momentos de Jenni. Nenhuma hipótese é descartada pelo delegado que está ouvindo testemunhas. A reportagem do Uol diz quie Jennifer já havia registrado dois boletins de ocorrência por agressões. Um foi em 2013, quando foi agredida na rua por desconhecidos até desmaiar, e outro no ano passado, contra um vizinho.

Segundo a reportagem, Lirous K’yo Fonseca Ávila, presidente da ADEH (Associação em Defesa dos Direitos Humanos com Enfoque na Sexualidade), que atende há 24 anos transexuais no município, conhecia Jenni. Já haviam viajado diversas vezes pelo Brasil para congressos sobre violência relacionada ao gênero. “O irônico é que, apesar de toda a brutalidade, Jennifer era ingênua. Ela acreditava na Justiça. Jamais poderia imaginar que sua morte seria desdenhada pelas autoridades”, diz Ávila.

Esse ano, o portal Uol divulgou que 27 transsexuais já foram mortas no Brasil.

Reporodução: Uol
Reporodução: Uol