REPORTAGEM EXCLUSIVA

Poluição no Rio Capivari em Ingleses chegou a 389 mil vezes acima do permitido

Estudo que amplia análises sobre o rio será apresentado para a comunidade dos Ingleses em reunião da Acif

COMPARTILHE ›

saneamento-basico-bandeira

Foto: Luzia Vidal / Jornal Conexão Comunidade
Foto: Luzia Vidal / Jornal Conexão Comunidade

Há anos o Rio Capivari é o foco do descarte de esgoto clandestino no Norte da Ilha e de extravasamento da rede da Casan, nos trechos onde existe na Praia dos Ingleses. Na noite desta quarta-feira, um estudo que será apresentado à comunidade em reunião aberta da regional Acif Ingleses, vai mostrar que as análises apontam que a poluição chegou a ficar 389 mil vezes acima do permitido para questões de balneabilidade.

O levantamento foi feito em 2015 pela química Viviane Ventura entre Janeiro e Fevereiro, em vários pontos do Rio. “Identificamos 390 mil unidades formadoras de colônias de coliformes fecais por 100 ml. O limite para a balneabilidade seria 1000 unidades formadoras de colônia para cada 100 ml. Neste caso, encontramos após a estação de tratamento de efluentes da Casan. Hoje ela está desativada e hoje ela recebe o esgoto da região para ser bombeado para outras estações”, diz Viviane.

Segundo a especialista, quando os extravasores passam da capacidade, liberam esgoto no sistema pluvial. Isso ocorreu, segundo ela, na data da análise, que foi de chuva em pleno carnaval de 2015. Os coliformes não trazem um mal direto para a saúde das pessoas, mas eles são uma maneira de checar que alí existem vírus, protozoários e bactérias que podem trazer doenças para a população. Entre os destaques estão as viroses e até em casos mais graves, segundo a química, a cólera.

“Me surpreendi bastante. Não esperava que fosse chegar a tanto. A gente sabe que existem ligações de residências, hotéis no pluvial, que leva água para o rio, mas dessa maneira descobrimos que o nosso tratamento, que estava sendo de uma forma muito precária, não tava funcionando como deveria. Isso, depois, foi admitido pela Casan. Houve várias regiões junto com a Acif, onde o diretor da Casan esclareceu que não haverá mais extravasores. Espero, no próximo estudo, encontrar menos coliformes”, diz Viviane.

De Janeiro a Março de 2017, Viviane vai retomar as análises que serão semanais no rio. A tendência, para a próxima temporada, é de uma piora na condição de balneabilidade. Uma das ações que diminuiria a poluição, seria uma limpeza do Rio Capivari, com a retirada da vegetação que se forma e acumula matéria orgânica. Ela causa mau cheiro.

A apresentação do estudo será nesta quarta-feira (16) no auditório do Colégio Santa Terezinha. Fica na Servidão Safira, 148, na Praia dos Ingleses.

LIMPEZA DO RIO

Na última quinta-feira (10), a Casan fez uma inspeção, ao lado do prefeito eleito Gean Loureiro, nas ações de melhoria do Rio do Braz em Canasvieiras. Lá, foram feitas limpezas e obras para diminuir a poluição. O Jornal Conexão Comunidade questionou a Casan sobre ações emergenciais no Rio Capivari, mas o presidente da Companhia, Valter Galina, não confirmou. Ele apenas afirmou que os extravasores foram lacrados e vai dar a ordem de serviço para a ampliação da rede de esgoto até o fim do ano.