LIXO

Mal acondicionamento do lixo de açougue causa indignação nos moradores

Longe da solução, moradores querem fiscalização do poder público

COMPARTILHE ›
Foto:  Claiton Nunes / Jornal Conexão Comunidade
Foto: Claiton Nunes / Jornal Conexão Comunidade

Moradores próximos ao sacolão da Rodovia João Gualberto Soares, 551, nos Ingleses, estão indignados com o desrespeito do proprietário do açougue localizado neste comércio pelo mal acondicionamento do lixo. O mal cheiro e a proliferação de larvas ocasionada por restos de carne e ossos, mal acondicionados em lixeiras quebradas e sem tampa tem revoltado quem é obrigado a conviver com isso todos os dias.

O local onde as lixeiras são depositadas fica próximo às residências e as altas temperaturas tem proporcionado um cheiro insuportável, sem contar que é impossível passar pelo local, reclamam os vizinhos. Com o lixo mal acondicionado, é frequente a presença de cachorros que rasgam as embalagens e as caixas de papelão e o chorume, líquido proveniente dos dejetos em decomposição, escorre pela rua.

Segundo o morador Claiton Nunes, o proprietário prometeu resolver a situação mas até agora nenhuma atitude foi tomada, “ficou só na promessa”, disse.

A situação se arrasta há meses sem nenhuma solução. Os moradores exigem uma postura de fiscalização do poder público para evitar mais transtornos, bem como a proliferação de baratas e ratos que podem transmitir doenças mais graves.

De acordo com a Companhia Melhoramento da Capital (Comcap) há uma legislação específica que deve ser cumprida por estabelicimentos comerciais no acondicionamento do lixo.

Veja o que diz a Lei Municipal 113/2003 que estabelece que a apresentação do lixo à coleta

Deverá ser feita unicamente em contentores de polietileno de alta densidade, com tampa, com capacidade de 80 (oitenta) a 360 (trezentos e sessenta) litros, de duas rodas, que seguem a norma de fabricação ANSI (American National Standart Institute) número Z245.60-Tipo B (Sistema Americano), e que possibilite sua coleta através de caminhões dotados de elevadores hidráulicos.

A Comcap recomenda a compra de contentores de qualidade, que respeitem as normas ABNT e contenham proteção UV (ultravioleta) para evitar que ressequem com o sol e o calor e quebrem com facilidade. Embora não indique empresas, a Comcap alerta que tem encontrado nos roteiros de coleta equipamentos importados de qualidade inferior aos contentores produzidos pela indústria nacional.

Foto:  Claiton Nunes / Jornal Conexão Comunidade
Foto: Claiton Nunes / Jornal Conexão Comunidade
Foto:  Claiton Nunes / Jornal Conexão Comunidade
Foto: Claiton Nunes / Jornal Conexão Comunidade
Foto:  Claiton Nunes / Jornal Conexão Comunidade
Foto: Claiton Nunes / Jornal Conexão Comunidade
Foto:  Claiton Nunes / Jornal Conexão Comunidade
Foto: Claiton Nunes / Jornal Conexão Comunidade