Connect with us

SEM LUZ

Luz em meia fase dificulta o dia a dia de alunos, professores e funcionários na escola Mâncio Costa em Ratones

Publicado em

Foto: Jornal Conexão Comunidade

Alunos, professores e funcionários da Escola Básica Municipal Mâncio Costa, em Ratones têm enfrentado dificuldades há cerca de dois meses com a oscilação de energia elétrica em todas as dependências da unidade. Lâmpadas em meia fase, ventiladores, ar condicionados e computadores que não funcionam, dificultam o dia a dia de aprendizagem e atendimento.

Segundo a diretora Ariane Cristina dos Reis, a fiação que era muito antiga foi trocada e na sexta-feira (16), tudo parecia ter voltado ao normal, mas as quedas de energia continuaram. A Celesc foi comunicada sobre o ocorrido.

Nesta segunda-feira (19) pela manhã após o início das aulas, quando os ares e ventiladores foram ligados, aconteceu uma explosão no transformador da rua próximo a escola e faíscas percorreram a rede elétrica, a rede de energia ficou em uma fase, afirmou a diretora.

Além das salas de aula, todo o sistema de refrigeração da merenda escolar também é atingido, com a luz em meia fase e pode haver perda de alimentos. Clarice afirmou que as crianças estão passando mal de calor e os professores não conseguem desempenhar as atividades. As aulas na sala de informática tiveram que ser suspensas.

Para o professor Attahualpa César Neto, da disciplina de geografia é bastante complicado para todos que convivem diariamente com essa situação, é desgastante e a longo prazo pode ser degradante para a saúde e auto estima de quem está envolvido com o ensino aprendizagem.

A professora Sarita Peixoto Silva que atua nas turmas de anos iniciais falou que além do excesso de calor a falta de luminosidade não dá condições das crianças prestarem a atenção, “eles ficam muito mais agitados e não conseguem se concentrar”. “É uma situação que precisa ser resolvida o mais rápido possível”.

A Celesc esteve na escola novamente na tarde desta segunda-feira (16), acionaram a chave do transformador próximo a escola e orientaram a direção da unidade escolar a rever a distribuição da amperagem de energia na rede interna. Já na manhã desta terça-feira após o início das aulas, a chave voltou a cair novamente e a escola ficou sem energia, mais dois protocolos foram gerados junto a Celesc para o conserto. A diretora Ariane teme que a merenda escolar estrague e tenha que ser colocada fora por falta de condições de refrigeração adequadas. A equipe diretiva acredita que a solução do problema está na troca do transformador.

A Secretaria Municipal de Educação informou que uma licitação está em andamento para contratação de uma empresa para fazer uma análise na rede elétrica de todas as unidades educativas para verificação de possíveis alterações no sistema.

Na segunda quinzena de abril, a PMF saberá qual a empresa que venceu a licitação. Os trabalhos devem começar até maio.

Foto: Jornal Conexão Comunidade

Foto: Jornal Conexão Comunidade

Leia mais

Acontecendo