INVESTIGAÇÃO

Justiça nega pedido de relaxamento de prisão para construtores suspeitos de estelionato

COMPARTILHE ›
Vítimas de golpe compraram apartamento na planta em terreno de posse
Foto: Jornal Conexão Comunidade

A Justiça negou o pedido de relaxamento de prisão dos construtores suspeitos de estelionato na venda de apartamentos na Praia dos Ingleses em três empreendimentos que estavam sendo construídos no bairro. A decisão foi proferida pelo magistrado João Batista da Cunha Ocampo Moré da 3ª vara criminal da comarca da Capital. Ele justificou para a manutenção do pedido de prisão a garantia da ordem pública, que as unidades não foram entregues no prazo acordado e que os imóveis foram vendidos para mais de uma pessoa, o que demonstra, segundo o magistrado, ma-fé e vantagem ilícita.

LEIA MAIS:
– Juíza prorroga inquérito de estelionato por precariedade da situação da Polícia Civil

– Golpe deixa dezenas de pessoas lesadas na venda de apartamentos em Ingleses
– Vítimas de golpe compraram apartamento na planta em terreno de posse
– Polícia pede prisão de construtor suspeito de estelionato na venda de imóveis

Os dois suspeitos são considerados foragidos pela Justiça, desde que foi aceito pela Justiça o pedido de prisão preventiva dos construtores. O caso está sendo investigado pela 8ª Delegacia de Polícia Civil que, segundo o despacho judicial, já identificou 64 pessoas como vítimas do crime investigado.

O caso envolve a venda de apartamentos, ainda em construção, para mais de um comprador nos condomínios Zarah I, Zarah II e Residencial Marítina, ambos na Praia dos Ingleses. As vítimas, na maioria, compraram o imóvel diretamente com o construtor. Deram carros e uma quantia em dinheiro. Alguns deles conseguiram recuperar os veículos, porém o dinheiro pago no negócio ainda foi reembolsado.

O inquérito foi apurado pela 8ª Delegacia de Polícia Civil de Ingleses e possui mais de mil páginas.