CLANDESTINIDADE

Gatos podem chegar a 30 mil ligações em Florianópolis, estima Celesc

Prefeito Gean Loureiro assinou um decreto que vai permitir a regularização de muitos imóveis na região

COMPARTILHE ›
Foto: Divulgação / Divulgação
Foto: Divulgação / Divulgação

As ligações clandestinas, chamadas de ‘gatos’, podem chegar a 30 mil em Florianópolis, segundo estima a Centrais Elétricas de Santa Catarina (Celesc). O número se deve em virtude do alto número de imóveis que são clandestinos e não possuem alvará de construção ou habite-se. A exigência da documentação acontece por uma decisão judicial. Nesta segunda-feira (15), o prefeito Gean Loureiro assinou um decreto que vai permitir a regularização de muitos imóveis na região.

Temos feito várias ações com a polícia para cortar os clandestinos. Mas a gente sabe que a gente sai e no outro dia eles ligam de novo, prejudicando quem está regularmente ligado. (…) Pra fazer o pedido de ligação na loja da Celesc, precisa apresentar o habite-se”, disse Luís Carlos Facco, gerente da Agência Regional da Celesc em Florianópolis.

Muitos dos cortes feitos pela concessionária de energia se dá em residências clandestinas onde estão famílias com crianças, idosos e portadores de deficiência, mas a empresa precisa cumprir a decisão judicial de 2001, onde se dá a exigência para realizar a ligação de energia. Muitas das famílias querem se regularizar, mas não conseguem.

Nesta segunda-feira (15), o prefeito Gean Loureiro deu autorização para moradores de Florianópolis que estavam em situação irregular receberem em suas residências o abastecimento de água e energia elétrica. As 30 mil ligações clandestinas que acredita-se existir, trazem insegurança para moradores e até mesmo risco de curtos circuitos na rede.

Para ter direito a regularização é necessário que as residências tenham construções consolidadas desde de 2016, além de estarem localizadas em áreas permitidas pelo zoneamento do município e a rua estar reconhecida pelo poder público. As pessoas podem procurar uma unidade do pró-cidadão para entrar com o pedido de regularização.