REPORTAGEM EXCLUSIVA

Fumaça da Casan identifica 54 pontos de irregularidades em Canasvieiras

Inconformidades são encontradas na bacia do Rio do Bráz em Canasvieiras e já foram informadas ao Floripa Se Liga na Rede que detém o poder de polícia

COMPARTILHE ›
Foto: Luzia Vidal / Jornal Conexão Comunidade
Foto: Luzia Vidal / Jornal Conexão Comunidade

Os trabalhos de colocação de fumaça na rede de esgoto já identificaram 54 pontos de irregularidades em Canasvieiras, no Norte da Ilha. No caso das casas, os problemas encontrados já foram informados à Prefeitura de Florianópolis, responsável pelo programa ‘Floripa Se Liga na Rede’, para que proceda a fiscalização. A maioria das inconformidades está na bacia do Rio do Bráz em Canasvieiras.

“Estamos em contato com eles que já estão com a programação para ir nas casas. Quando é problema na drenagem, vamos ver com a vídeo inspeção”, afirmou Francisco Pimentel, chefe do setor de esgotos da Casan.

Quando é identificado o escape de fumaça pela rede pluvial, o sistema de vídeo inspeção vai avaliar a tubulação para que a falha ou ligação irregular seja vista pelos técnicos. Com isso, procederá, se possível, uma obra de recuperação no sistema de captação de água da chuva. A maior parte dos problemas, segundo a Casan, foram identificados em casas e na rede de drenagem.

Fotos: Valéria Ribeiro / Divulgação
Fotos: Valéria Ribeiro / Divulgação

O contrato prevê investigação por fumaça em 35,5 km de rede e 7,5 km de vídeo inspeção ao valor de R$ 360 mil. No mês de julho, 20 km de rede já foram vistoriados pelos técnicos de uma empresa contratada com supervisão da Casan, ou seja, mais da metade do contrato foi cumprido. Francisco Pimentel, chefe do setor de esgotos da Casan, afirmou que o próximo passo do trabalho de inspeção é investigar as redes nas praias de Ponta das Canas e Cachoeira do Bom Jesus.

ENTENDA

Os trabalhos são feitos após um jogo de empurra/empurra entre a Prefeitura e a Casan sobre a responsabilidade dos problemas de poluição no balneário de Canasvieiras. No local, existem ligações irregulares e extravasamento de esgoto, o que responsabiliza ambas partes. Durante o verão, a poluição fez a temporada terminar mais cedo neste ponto do Norte da Ilha, além de ser foco de reportagens de jornais internacionais como Clarin e El País. No ápice do derramamento de esgoto, no ano novo, as viroses deixaram milhares de pessoas doentes e faltou remédio em farmácias. Mesmo sendo causadas pelo esgoto, a prefeitura não admitiu isso e afirmou que o problema era a alimentação das pessoas na praia.

REPORTAGEM DO CLARIN SOBRE A POLUIÇÃO EM CANASVIEIRAS

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução