Connect with us

MOBILIDADE URBANA

Florianópolis espera verbas para fazer estudo de binário em Ingleses

Publicado em

Florianópolis espera verbas para fazer estudo de binário em Ingleses

Foto: Emanuel Soares / Jornal Conexão Comunidade

O projeto de um binário ainda está na pauta do poder público para Ingleses. É isso que prevê a Prefeitura de Florianópolis para um projeto de impacto para melhorar a mobilidade urbana na região. Na pauta, estão dois binários. Nos Ingleses, um deles terá o objetivo de melhorar o fluxo na Rodovia João Gualberto Soares que registra longos engarrafamentos. Por enquanto, não há projeto, apenas ‘ensaios’ e demandas identificadas que podem ser o start de um projeto. A cidade espera a liberação de recursos da Secretaria do Tesouro Nacional (STN) para que o a ideia ganhe corpo.

LEIA AINDA:
– Emanuel Soares: “Brasil Atacadista e prefeitura não se entendem sobre asfalto”
– GALERIA: Veja imagens do amanhecer desta sexta-feira (13)

Em entrevista ao jornalista Emanuel Soares no Conexão Notícias, o secretário de Transportes e Mobilidade Urbana, Marcelo Roberto da Silva, afirmou que espera até o fim do ano a liberação de verbas para começar os estudos. Tudo precisa ser bem pensado e identificado, comentou.

“Vamos fazer um diagnóstico. Qual a melhor rua? O que vai afetar de forma positiva? Não é só colocar sinaleira em determinados locais. É ncessário um estúdo técnico sobre polos geradores de demana como empreendimentos, condomínios, se há espaços de carga e descarga e recuos para ônibus”, explicou o secretário.

A possibilidade ventilada é envolver em um binário a Rua Graciliano Manoel Gomes ou a Estrada Dário Manoel Cardoso que seriam convertidas em mão única. A Rodovia João Gualberto Soares também pode ser sentido único, mas dependeria das análises e das verbas destinadas para a melhoria do sistema viário para que o projeto seja implantado.

Precavido, o secretário não tratou de prazos para que o binário vire realidade para impactar o sistema viário nos Ingleses. Apenas disse que tudo depende dos estudos que serão realizados. “Não gosto de prometer aquilo que não estudo com detalhes. Hoje existem softwares que podem nos ajudar, mas vamos fazer tudo muito bem pensado”, comentou.

Dentro do projeto também estão previstos recursos para a melhoria do mobiliário urbano, como recuperação ou compra de novos abrigos de ônibus.

CONFIRA A ENTREVISTA NA ÍNTEGRA

Leia mais

Acontecendo