PREJUÍZOS

Empresária planeja processar Celesc por mau atendimento no Norte da Ilha

Empresária aguarda há três meses a finalização da ligação de energia no estabelecimento que fica na SC-403

COMPARTILHE ›
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Investindo na economia e no desenvolvimento de Ingleses, nos planos da empresária Simone Andrade está um novo pet shop que pode ser um dos melhores da Capital. O sonho se concretizou, mas ainda não foi executado. O novo empreendimento esbarra na falta de atendimento, orientação e prestação de informações adequadas da Celesc na ligação de energia. A empresária aguarda há três meses a finalização da ligação de energia no estabelecimento que fica na SC-403. A empresária planeja processar a empresa se o atendimento não ocorrer nesta semana.

O serviço necessário é uma troca de padrão energético, que necessita de uma vistoria da Celesc. O serviço estava previsto para o início do mês, porém não ocorreu. “Liguei muitas vezes e disseram que não tinha registro do meu pedido. Os meus problemas se arrastam há mais de três meses, quando a ligação de energia, e eu estou sofrendo um enorme prejuízo. Estou pagando pessoas por um trabalho que elas não podem fazer no meu pet shop. Vou montar uma escola e nesse período, 15 profissionais já poderiam estar formados no mercado de trabalho”, disse Simone.

O Jornal Conexão Comunidade acompanha o caso há 10 dias. A Celesc levou oito dias para responder os questionamentos da reportagem, quanto a demora no atendimento da consumidora. Em nota, a empresa disse que a unidade consumidora está com a obra liberada. Conforme orientação da área de projetos da Agência Regional Florianópolis, é necessário agora que o técnico responsável pelo projeto elétrico entre no site da empresa para pedir vistoria da ligação.

Entretanto a vistoria já foi solicitada e ainda não ocorreu. “Estou sem entender o que está acontecendo. Fizemos tudo certinho e não estou sendo bem atendida, nem recebo as informações quando ligo pra Celesc para saber o andamento”, disse. A empresária afirmou que se não ocorrer ainda nesta semana a vistoria da unidade consumidora, planeja processar a Celesc para recuperar os prejuízos.