#FLORIPA344

Emancipação colocaria o Norte da Ilha entre as maiores cidades do Estado

Na visão do prefeito Gean Loureiro, o desejo se confirmaria se não houvesse investimentos públicos da prefeitura na região

COMPARTILHE ›
Praia dos Ingleses é uma das mais movimentadas do Norte da Ilha
Foto: Luzia Vidal / Jornal Conexão Comunidade

Os bairros do Norte da Ilha formariam uma das 20 maiores cidades do Estado se houvesse uma emancipação. Há 20 anos, houve um movimento para que a região se separasse de Florianópolis, que completa 344 anos, mas não vingou. Seria, na prática, inconstitucional tentar separar os bairros da Capital do Estado. Na visão do prefeito Gean Loureiro, o desejo de emancipação só se confirmaria se não houvesse investimentos públicos da prefeitura no Norte da Ilha.

“Esse desejo de emancipar que aconteceu há 20 anos atrás, quando houve um movimento de separação do Norte da Ilha. Ele acontece quando a administração pública ignora a necessidade de investimento, apoio e participação. Quando o poder público acredita na região, investe busca o desenvolvimento e sente que há uma participação, não tem lógica criar mais uma câmara municipal, mais estruturas, para gerar despesas. O que tem que ser feito é o que se arrecada no Norte da Ilha precisa voltar em retorno para a região. Nossa administração vai potencializar a região”, disse Gean.

Hoje, o Norte da Ilha tem vida própria. Supermercados, lojas de calçados, de roupas, bancos, atendimento público. Tudo o que o morador precisa, existe aqui no Norte da Ilha. Mesmo assim, toda a região carece de estruturas públicas. Um dos maiores desafios, na visão do prefeito, é alavancar a região na baixa temporada. Seria um estímulo ao desenvolvimento econômico dos bairros.

“Apesar da beleza natural invejável, o Norte da Ilha carece de estrutura pública para estimular o turismo. Precisamos organizar a região para não depender apenas do turismo do verão. Temos o desafio e instalar novas empresas e quero estimular o setor de TI (Sapiens Parque)”, afirmou o prefeito.

A diversidade de origens transforma o Norte da Ilha numa terra de todos os povos. A cada 100 moradores, 29 são de fora do estado. São gaúchos, paulistas, cariocas, paranaenses que escolheram essa terra para viver. Porém, os gaúchos ainda são a maioria e totalizam 12% da população da cidade.

Mesmo sem possibilidade constitucional de se emancipar, o Norte da Ilha é uma cidade dentro de Florianópolis.