Cristiano Vieira: “Você pode fazer o certo, mas não valerá nada se você não fizer a diferença”

contato@jornalconexao.com.br

COMPARTILHE ›

cristiano-banner-colunista-site-topoParece radical dizer que se está fazendo o certo e que de nada vale, mas fazer apenas o certo significa que você é apenas mais um.

Quantas vezes abastecemos nosso veículo no mês? Quantas vezes vamos ao mercado e passamos pelo caixa? Por quantas pessoas diferentes somos atendidos todos os dias?

Seguramente diversas vezes, em sua maioria ou praticamente em sua totalidade cada um dos que nos atenderam cumpriram com aquilo que deviam fazer, mas você se lembra de todos estes profissionais? Claro que não, nos lembramos apenas quando foram excelentes nas suas tarefas. Nos lembramos apenas quando eles fizeram a diferença! Os demais são apenas mais um… mais um frentista, mais um caixa, mais um professor, mais um médico, mais um corretor, mais um vendedor… mais um futuro desempregado!

Antes as empresas possuíam em seu staff um ou outro colaborador que fazia a diferença e a esses denominavam talento e isto era mais do que suficiente para atender a um público que consideravam pouco exigente. Hoje com uma concorrência mais acirrada e o acesso a informação cada vez mais rápido e abrangente a empresa tem necessidade de possuir vários “talentos” para poder atender a um público extremamente exigente.  Na verdade a exigência do público sempre foi grande o que mudou foi o acesso a informação e as empresas entenderam que não tinham talentos e sim funcionários capacitados e interessados.

Evidente que muitos destes talentos eram auto motivados e vinham com know how adquirido por experiências profissionais anteriores e isto mudou principalmente o cenário da contratação pelas empresas.

Procurando ser assertiva em suas contratações as empresas investiram em profissionais especializados no recrutamento e seleção e criaram mais filtros entre os candidatos… Ou seja, a cada dia fica mais restrita as opções aos que apenas fazem tudo certo e amplo o mercado para os que já estejam no status “talento”.

Destaco o talento como “status” porque só depende de você ser um talento ou não, o talento a que nos referimos não é DOM é técnica, trabalho, dedicação, esforço e na maioria das vezes superação.

Venho abordando o tema DOM e TÉCNICA com frequência porque vejo muitas pessoas se referirem a outras de sucesso em seu segmento com a frase: “Fulano tem o DOM” porém ignoram que aquele DOM vem de estudos, investimentos em conhecimento, preparo, ensaio… Dedicação.

Ser apenas mais um significa que a qualquer momento seu par ou um novo colega podem se transformar em um talento e você seguramente continuará sendo mais um, mas desta vez, mais um desempregado.

Fazer tudo certo nos tempos de hoje não supre as expectativas de seus clientes e não deveria suprir nem as suas afinal de contas somos vendedores mas nunca deixaremos de ser clientes.

Faça algo a mais, seja algo a mais! Seja diferente, faça a diferença!