ELEIÇÕES 2016

Casan emite nota de esclarecimento sobre o esgoto da Capital

Empresa se posiciona quanto ao que é tratado de forma equivocada sobre o tema na campanha eleitoral

COMPARTILHE ›

eleiçoes-logo-top

Foto: Casan / Divulgação
Foto: Casan / Divulgação

A Casan emitiu uma nota sobre os equívocos relacionados ao saneamento tratados na campanha eleitoral. No texto, a companhia elenca as principais ações que estão sendo tomadas para garantir um melhor saneamento para a cidade.

LEIA A NOTA:

– As redes de esgoto já implantadas nos bairros Cacupé, Sambaqui e Santo Antônio de Lisboa ainda não dispõem de Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) devido a impasses jurídicos criados por pleitos das próprias comunidades, que na época se posicionaram contrárias à construção. No Sul da Ilha, a não efetivação da estação deve-se ao debate entre ambientalistas e líderes da comunidade local, que divergiram entre as soluções para destino final do efluente tratado, via emissário submarino ou lançamento em rio.

– Uma concorrência internacional foi lançada no dia 10 deste mês, no valor de R$ 80,5 milhões, para executar todo o Sistema de Esgotamento Sanitário (SES) dos bairros Saco Grande, João Paulo e Monte Verde. O investimento permitirá também a conexão da rede existente em Cacupé, Sambaqui e Santo Antônio à futura estação. No dia 11 de novembro serão entregues as propostas das empresas interessadas.

– A CASAN já tem contrato para executar a Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) Rio Tavares, que dará um destino final à primeira etapa da rede já implantada no Campeche. A empresa Infracon, de Minas Gerais, vencedora da licitação com a proposta de R$ 34,6 milhões, deve começar a obra no mais tardar em novembro.

– Todo o Sistema de Esgotamento Sanitário (SES) dos Ingleses e do Santinho já foi licitado, no valor de R$ 89,8 milhões. Neste momento a empresa avalia tecnicamente as propostas de preços. A Ordem de Serviço deve ser assinada ainda em 2016.
– O Sistema de Esgotamento Sanitário (SES) da parte Continental de Florianópolis está em fase de conclusão, deixando a região com 98% de cobertura de esgoto tratado já a partir deste Verão.

– Ainda em novembro será lançada a licitação para duplicar a capacidade de tratamento da Estação Insular, localizada ao lado da Rodoviária. A obra, orçada em R$ 66 milhões, permitirá ampliar a rede coletora para a Bacia do Itacorubi, beneficiando ainda os bairros José Mendes, Parque São Jorge, Córrego Grande e Pantanal.

– Todas as novas estações de tratamento de esgoto da CASAN terão tratamento terciário, considerado o mais eficiente do mundo, pois além da matéria orgânica remove também fósforo e nitrogênio.

– A Capital do Estado conta atualmente com 56% de cobertura de esgoto e estará com 74% até o final de 2018. Para que isso seja possível a CASAN está investindo um total de R$ 372 milhões exclusivamente em Florianópolis. Este montante – assegurado via financiamentos junto à agência japonesa JICA, ao BNDES, à Caixa Federal e ao Orçamento Geral da União – representa o maior valor em esgotamento sanitário empregado numa única cidade no país no momento.

Infelizmente, há muitas décadas as praias do município não apresentam 100% de balneabilidade. A balneabilidade de Florianópolis é impactada pelo crescimento populacional e especialmente pela influência das chuvas, cuja água é carreada para a praia pela rede de drenagem (quando ela existe) ou pelo leito das próprias vias em direção à areia quando não há um sistema adequado de macrodrenagem, como ocorre em Canasvieiras e Cachoeira do Bom Jesus.