POLÍCIA

Assaltos a ônibus na SC-401 voltam a assustar os passageiros do Norte da Ilha

Uma passageira, que não quis se identificar, contou os detalhes da ação criminosa em um ônibus da linha Canasvieiras Gama D'eça

COMPARTILHE ›
Foto: Emanuel Soares / Jornal Conexão Comunidade
Foto: Emanuel Soares / Jornal Conexão Comunidade

Os assaltos aos coletivos do transporte público de Florianópolis estão novamente assustando os passageiros que usam as linhas troncais na SC-401, entre o Centro e o Norte da Ilha. O último ataque foi no início da noite desta terça-feira (21) na linha 230 – Canasvieiras Gama D’eça, próximo ao ponto do Floripa Shopping. O local é o mesmo de outros ataques similares. Nas duas ocorrências, o assalto foi na parada antes do shopping, junto ao elevado do Cemitério Jardim da Paz. Uma passageira, que não quis se identificar, contou os detalhes da ação criminosa de ontem na linha que seguia do Centro e o Norte da Ilha.

“Foi por volta de 18h30. No ponto antes do Floripa Shopping, alguém pediu pra parar e o motorista parou. Entrou um rapaz no ônibus entre 19 e 23 anos com moletom marrom e capuz. (…) Ele chegou na catraca, apontou uma arma para a cobradora, ela abriu a caixa e deu o dinheiro para ele. Ele gritou para o motorista e parou. Desembarcou como se nada tivesse ocorrido”, disse assustada a passageira.

Ela informou que o ônibus seguiu normalmente até o Terminal de Santo Antônio de Lisboa. Lá, um fiscal entrou no ônibus e a cobradora contou os detalhes do crime. Depois disso, o coletivo seguiu até o Tican na Vargem Grande. A passageira afirmou que na última semana, a ação criminosa ocorreu no mesmo ponto por volta de 20h30 em um ônibus que trafegava no sentido bairro do Norte da Ilha. Dentro do coletivo, estava uma amiga.

O coronel Marcelo Pontes, comandante do 4º Batalhão, responsável pelo policiamento na área, afirmou que o policiamento já está reforçado na região e a prioridade será prender o criminoso. “Já recebemos a informação do provável criminoso. Ele está usando uma arma de brinquedo e cometendo esses roubos. Hoje será prioridade do 4º batalhão a prisão desse criminoso”, disse.

O comandante pede que os passageiros que foram testemunhas ou vítimas, entrem em contato com a polícia para ajudar com informações sobre as características do criminoso. “É uma dificuldade. Na maioria das vezes, o ônibus não fica no local e prejudica o trabalho da PM”, comentou. O Jornal Conexão Comunidade entrou em contato com o Consórcio Fênix, responsável pelo transporte público, porém ainda não houve resposta.