Connect with us

CRIME

Turista de São Paulo pode ter sido morto por engano, diz delegado

Publicado em

Homem executado na Praia do Moçambique era turista de São Paulo
Homem executado na Praia do Moçambique era turista de São Paulo

Foto: Jornal Conexão Comunidade

A morte do turista de São Paulo na segunda-feira (11) na Praia do Moçambique em Florianópolis já está sendo investigada, sendo que uma das principais linhas é que Jadson Andrade, de 30 anos, pode ter sido confundido com um integrante de uma facção criminosa rival a que opera dentro e fora das penitenciárias em Santa Catarina. Ele estava hospedado com uma amiga na Praia de Canasvieiras e ela teve que reconhecer o corpo no Instituto Médico Legal (IML).

LEIA MAIS:
– Corpo é encontrado com marcas de tiros na Praia do Moçambique
– Homem executado na Praia do Moçambique era turista de São Paulo

“Por enquanto o que temos são informações. Já estamos identificando os possíveis envolvidos, mas em princípio foi morto por engano sim”, disse o delegado.

Mesmo que o delegado tenha afirmado no início da investigação que o crime tinha relação com o tráfico de drogas, uma amiga ouvida pelo Jornal Conexão Comunidade desmentiu e disse que Jadson não tinha relação com ilícitos e atuava no ramo do comércio. Mais tarde, o delegado desfez a declaração afirmando que a vítima poderia ter sido morta por engano. A informação de que o morto era turista de São Paulo foi divulgada com exclusividade pelo Jornal Conexão Comunidade.

Reprodução

Reprodução

“Eu não disse. Eu nunca disse isso. Pergunta pro Diário Catarinense o que eu disse. Eu nunca disse isso”, disse o delegado Ênio Matos.

Clique e leia a reportagem do Diário Catarinense

A irmã da amiga de Jadson contou como foi o domingo dos dois. Eles foram a praia e depois ele saiu sozinho afirmando que ia jantar. Desse instante, ele não foi mais visto por ela.

“Eles passaram o domingo na praia. Lá pelas 17h ele saiu e disse que ia jantar. Minha irmã tentou falar com ele, mas o telefone deu na caixa de mensagens. (…) A nossa amiga ligou no IML e um cliente meu mandou a reportagem do vocês falando que um corpo tinha sido encontrado”, disse a irmã da amiga da vítima.

VÍDEO

A execução de Jadson foi gravada em dois vídeos que circulam nas redes sociais. O primeiro mostra ele dentro de um carro com a boca já machucada e marcas de sangue. Ele aparece com uma arma de cor preta apontada para a cabeça. Na cena, os bandidos fazem uma roleta russa, apertando o gatilho e as balas não saem. Na sequência seguinte, eles já estão na Praia do Moçambique e os bandidos disparam a queima roupa contra Jadson.

Nos diálogos, os bandidos dizem que ele pertence a uma organização criminosa de São Paulo e que está ocupando pontos de tráfico no Norte da Ilha. Até o nome da cadeia de Tremembé, município que a 150 km de São Paulo Capital foi citada.

Leia mais

Acontecendo