REPORTAGEM ESPECIAL

Rodovia SC-401 completa 100 dias sem mortes no Norte da Ilha

Número é considerado positivo pela Polícia Militar Rodoviária (PMRv), mas recorde de 210 dias é de 1997

COMPARTILHE ›
Foto: Moacir Souza / Jornal Conexão Comunidade / Exclusivo
Foto: Moacir Souza / Jornal Conexão Comunidade / Exclusivo

A SC-401 completou nesta terça-feira (16), 100 dias sem mortes no Norte da Ilha. Esse é um marco importante, após um período violento na rodovia, entre o fim do ano passado e o início de 2016. Mesmo considerada por especialistas uma rodovia que necessita de ajustes estruturais, em virtude do crescente fluxo, o número mostra uma melhoria nos índices de acidentes neste ano. Por enquanto, o recorde de 210 dias foi alcançado em 1997.

O índice também é considerado positivo pela Polícia Militar Rodoviária (PMRv) em virtude do baixo efetivo da organização na rodovia. No plantão de 24 horas, apenas três policiais trabalham na fiscalização de trânsito e atendimento de acidentes. Quando é necessário, policiais de outros postos da Grande Florianópolis são deslocados para o Norte da Ilha para reforçar a fiscalização de trânsito como ocorre, por exemplo, em períodos de feriados.

Foto: Jaime Júnior / Jornal Conexão Comunidade
Foto: Jaime Júnior / Jornal Conexão Comunidade

Um dos pontos com maiores registros de acidentes é próximo ao Tican, onde mortes ocorreram em virtude de atropelamentos. Por causa da mobilização comunitária, protestos (foto) foram feitos e a comunidade conquistou uma passarela que foi construída pelo Governo do Estado. Mesmo assim, durante as obras que tiveram atrasos em fevereiro, uma mulher, natural de Belém do Pará, morreu atropelada em baixo da estrutura que ainda estava sendo construída.

Foto: Divulgação / Arquivo Pessoal
Foto: Divulgação / Arquivo Pessoal

Os primeiros meses de 2016 foram bem violentos. Os acidentes graves começaram no final do ano passado, após a morte do jornalista Róger Bitencourt (foto) que foi atingido por um carro, enquanto andava de bicicleta na lateral da rodovia com um grupo de ciclistas. Róger morreu no local e outra vítima foi encaminhada ao hospital. Após a virada do ano, outra ciclista morreu na SC-401, perto do Centro de Eventos Luiz Henrique da Silveira, enquanto voltava do trabalho.

Foto: Murilo Mesko / Divulgação
Foto: Murilo Mesko / Divulgação

FUTURO

O futuro da rodovia ainda é incerto. Especialistas defendem uma humanização da estrada para que ela se transforme em uma ‘espécie de avenida’, o que minimizaria a velocidade dos veículos e, consequentemente, os acidentes. O projeto do Plano de Mobilidade Urbana da Grande Florianópolis (Plamus), elaborado pelo Governo do Estado, previa para 2018 a construção de ciclovias e corredores para ônibus. Mesmo que o projeto já exista desde 2012, em virtude da crise financeira enfrentada pelo Estado ainda não se tem previsão de execução das obras.

NÚMEROS

40 prisões por embriaguez em 2015

100 dias sem mortes em 16/08/2016

210 dias sem mortes em 1997

4 passarelas para pedestres em 21,5 km de rodovia

3 policiais por turno de plantão