GERAL

Resíduo da caixa de gordura precisa ser destinado ao lixo comum

Legislação aponta que a pasta branca que se forma é considerada semissólida, não podendo entrar na rede pública de esgoto

COMPARTILHE ›

Muitos enterram ou deixam ir para a rede de esgoto por total falta de informação, mas a destinação correta para o resíduo da caixa de gordura é o lixo comum. A confirmação ocorreu após a Comcap verificar que a pasta branca e fétida que se forma é considerada semissólida pela legislação, não podendo ser jogada na rede de esgoto. A orientação é drenar toda a água que fica acumulada descartar através da coleta convencional da Comcap que vai levar para o aterro sanitário.

Empresários ouvidos pelo Jornal Conexão Comunidade (JCC) confessaram que não tinham a informação sobre a correta destinação da gordura retirada. Um dono de restaurante já recebeu a fiscalização do ‘Floripa se liga na rede’ e não estava em conformidades com a instalação. As adequações foram feitas, não recebeu mais a fiscalização, e ele não sabia o que fazer com a gordura. Chegou a procurar a informação com os órgãos competentes, mas não teve sucesso.

Entretanto, muitas pessoas optam por chamar empresas especializadas em limpar fossas e caixas de gordura. Hoje, é oferecido por elas um pacote de limpeza, o que inclui a caixa de gordura por ter uma quantidade mínima em relação ao que é recolhido na fossa, por exemplo. Todo o efluente recolhido é misturado no reservatório do caminhão e entregue na estação de tratamento de esgoto do Norte da Ilha.

Se fosse jogada diretamente na rede pública de coleta, a gordura poderia entupir a canalização. Porém, quando é entregue na estação de tratamento através do caminhão limpa fossa, a quantidade não compromete o tratamento de esgoto, segundo a Casan. A companhia orienta que a caixa de gordura da residência deve ser limpa com periodicidade bem mais frequente, que varia de uma semana ou até menos (no caso de restaurantes) a três meses, no caso de residências onde haja menos utilização da cozinha.