FIM DO PROJETO

“Nunca usamos a Casa de Cultura para fins eleitoreiros”, diz Edinho Lemos

Secretário do Continente diz que projeto em Ingleses foi inviabilizado pela crise

COMPARTILHE ›

Este slideshow necessita de JavaScript.

Fechada após a eleição de 2016 quando se elegeu vereador mais votado pelo Norte da Ilha, a Casa de Cultura que ficava na Rodovia João Gualberto Soares em Ingleses e era bancada pelo vereador Edinho Lemos (PSDB), hoje secretário do Continente, deu lugar a outro empreendimento. O projeto foi inviabilizado pela crise, mas o secretário municipal diz que nunca usou o projeto para fins eleitoreiros e muitas das doações recebidas foram devolvidas aos donos.

“Nunca usamos a Casa de Cultura para fins eleitoreiros. Nunca, nunca. Ele foi um projeto aberto para toda a comunidade. Lá tínhamos espaço aberto para toda a comunidade, para as rendeiras, para os artesãos. Nunca fizemos uma reunião política e nunca vinculamos o nome do vereador Edinho Lemos, pelo contrário. Tanto é que tinha mães de outros vereadores que usavam o espaço para as suas atividades. Aquilo era aberto para todo o público”, disse.

A estrutura da Casa de Cultura contava com livros que eram de uma biblioteca da Praia do Santinho que, segundo defende Edinho, era bancada por ele mesmo. O secretário explicou que parte do acervo de livros se perdeu em uma chuva que provocou alagamentos na Casa de Cultura, e que as demais obras salvas estão guardadas na casa dele.

"Nunca usamos a casa de cultura para fins eleitoreiros", diz Edinho Lemos
Fotos: Arquivo Pessoal

“Os computadores foram devolvidos. Eles eram do CDI, Comitê para a Democratização da Informática que fazia o Telecentro. Os livros, teve um problema no depósito com uma enxurrada, e acabou uns estragados e não tivemos como reaproveitar. Uma parte desse material esta guardado para que a gente possa reativar esse tipo de espaço”, afirmou.

O secretário não descarta doar o material que sobrou para alguma escola do município.

EXPLICAÇÕES

Eleito como vereador mais votado do Norte da Ilha com 2,1 mil votos, sendo o mais votado da região, Edinho Lemos (PSDB) trocou a câmara pela Secretaria do Continente, zona onde fez apenas 267 votos. Ele diz que usa da experiência pública que tem, agora em cargo executivo, para ajudar no desenvolvimento da cidade.

“Apesar da minha base eleitoral ser no Norte da Ilha, e sou muito grato a isso, tanto é que a maioria das demandas vindas ao gabinete dos vereadores dizem respeito ao executivo e não ao legislativo. É dificil alguma pessoa chegar lá para falar de um projeto A, B ou C, ou alteração de zoneamento, até existe. Mas a maioria é pedido de calçamento de rua, é melhoria de creche, escola e tal. Como eu tinha experiência no executivo, o prefeito Gean Loureiro pediu para que eu ocupasse a pasta”, afirmou Edinho.

O secretário acredita que a experiência adquirida no Continente pode ajudar a implantar a secretaria do Norte da Ilha no futuro.