SERÁ?

“Não dá pra fazer relação direta entre balneabilidade e as viroses”, diz prefeito

Prefeitura não confirma como surto, mas viroses provocaram um forte aumento nos atendimentos na Upa Norte e nas farmácias do Norte da Ilha

COMPARTILHE ›

O Prefeito de Florianópolis, César Souza Jr, disse que ainda não dá pra fazer uma relação direta entre a balneabilidade e os casos de virose que atingem milhares de pessoas no Norte da Ilha desde o agravamento das condições sanitárias nas praias na virada do ano. As viroses provocaram um forte aumento na procura dos serviços municipais de saúde na Upa Norte além da falta de medicamentos nas principais farmácias da região. A prefeitura ainda não confirmou os casos como um surto.

“A gente tem que ter responsabilidade quando falamos de saúde pública. Foi avaliado com muito critério. Não dá pra fazer uma relação direta entre balneabilidade e as viroses. As viroses estão acontecendo em todo o litoral catarinense e elas tem relação também com a alimentação. (…) A gente segue monitorando e neste momento não há relação direta entre Rio do Bráz, balneabilidade, questão das viroses. Ela pode ter várias razões e via de regra existe um aumento de viroses no verão. Houve um aumento maior este ano, mas ainda não relacionado com a questão da balneabilidade”, disse o prefeito.

Os casos de virose foram divulgados com exclusividade pelo Jornal Conexão Comunidade (JCC) no início da semana passada. Os atendimentos em farmácias e na Upa Norte deram um salto no primeiro fim de semana de 2015, quando milhares de pessoas buscaram os medicamentos nas farmácias para o tratamento de diarreia, febre e vômitos.

Nesta terça-feira (12), o município fez um trabalho de inspeção em algumas casas e estabelecimentos com o acompanhamento da imprensa. Durante a madrugada, máquinas da prefeitura fizeram uma ação paliativa e fecharam a foz do Rio do Bráz em Canasvieiras. Moradores que passaram pelas proximidades do rio elogiaram a ação. Outros questionaram se terá durabilidade o dique feito pela prefeitura.