#NOSSOBAIRROSUAVOZ

Moradora reclama dos muros que não dão espaço para os pedestres e as calçadas

Revitalização da Onildo Lemos foi feita só em pequenas partes da via

COMPARTILHE ›
Foto: Emanuel Soares / Jornal Conexão Comunidade
Foto: Emanuel Soares / Jornal Conexão Comunidade

“Pedestres enfrentam risco no meio no trânsito por falta de aplicação da lei”, afirma Marlene Tomáz, moradora da Praia do Santinho. Segundo ela o trecho do Portal de entrada do bairro até o Supermercado Lélus, na Estrada Vereador Onildo Lemos é impossível transitar pelas calçadas com segurança. Carrinho de bebê em determinados locais, então nem pensar em andar pela calçada, é preciso disputar espaço com carros, motos e bicicletas para poder passar, disse.

Em 2014 a revitalização realizada no Santinho atingiu apenas parte do bairro onde foram construídas calçadas ficando uma boa parte sem acessibilidade e segurança. Além das poucas calçadas existentes a moradora reclama dos postes e placas de sinalização de trânsito que tomam conta dos pequenos espaços por onde apenas uma pessoa pode passar sem ter que pisar na pista dos carros. Outro problema recorrente são construções antigas que mantém terrenos com grandes espaços na frente que poderiam ser cedidos para que desse espaço para os pedestres e maior valorização do imóvel.

“Cada dia que passa é mais muro avançando para cima das calçadas, então eu pergunto, onde é que os moradores e os turistas vão passar? (…) Cadê os candidatos que todo o ano de política pedem voto pra Deus e todo mundo que não se preocupam com uma situação dessas?”, afirmou.

Foto: Emanuel Soares / Jornal Conexão Comunidade
Foto: Emanuel Soares / Jornal Conexão Comunidade

Ela ressalta que a maioria dos políticos que estão à frente da Prefeitura e na Câmara de Vereadores, são todos manezinhos e não se preocupam com o que acontece na cidade, assim como a segurança das pessoas com a falta de calçadas

De acordo com a legislação municipal, as calçadas são de responsabilidade dos próprios moradores, mas cabe ao poder público municipal fiscalizar e multar aqueles que não fazem a manutenção do pavimento. Pelas regras atuais, todas as calçadas da capital catarinense devem conter os pisos vermelhos de acessibilidade. Mas em 2015, a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) atualizou as regras de 2004 com a NBR 9050/2015. Com essa mudança, nem todas as calçadas serão obrigadas a ter os pisos guia.

A legislação municipal estabelece que as calçadas, passeios e vias exclusivas de pedestres precisam integrar um espaço livre com largura mínima de 1,20 m; com superfície regular, firme, contínua e antiderrapante sob qualquer condição; devem ser contínuas, sem qualquer emenda, reparo ou fissura.