MEU AMIGO PET

Levar cão à praia pode causar doenças ao animal e ao dono

COMPARTILHE ›

Meu amigo PetLevar cão à praia pode causar doenças ao animal e ao donoBastante comum no Norte da Ilha, a presença de cachorrinhos de estimação nas praias é proibida desde 2001 em Florianópolis, quando foi aprovada a lei que expressa a seguinte frase: “É expressamente proibida a presença de cães, gatos ou outros animais em praias a qualquer título”. A medida é para impedir a proliferação de doenças que comprometem a saúde dos próprios pets e também dos banhistas.

Entre os principais problemas decorrentes do passeio dos cães no litoral destaca-se a chamada Dirofilariose. Popularmente conhecida como verme do coração, a zoonose é transmitida pela picada de mais de 60 espécies de mosquitos encontrados com facilidade no ambiente praiano e se aloja no coração do bichinho, provocando sintomas como tosse, falta de ar, cansaço, inchaço nos membros, barriga inchada e língua arroxeada. Em geral, o tratamento da patologia envolve internação em hospital e cirurgia.

Além da doença do coração, conjuntivite, problemas de pele e outras verminoses podem ser adquiridos pelos cachorros nas areias. Já em humanos, as principais doenças causadas são decorrentes, principalmente, das fezes infectadas dos pets que podem transmitir parasitoses intestinais como a Giardíase e a Isosporose (responsáveis por sintomas como dores abdominais, gases, vômitos, diarreia, perda de apetite), além do famoso bicho geográfico, que pode penetrar na pele das pessoas, causando feridas e forte coceira.

Em meio a tantos riscos, vale a pena ressaltar que os cães devem ser mantidos longe da areia e da água do mar, quando estiverem no litoral, além de serem constantemente vermifugados e vacinados. Apesar disso, os pets podem passear tranquilamente pelo calçadão da praia, desde que sejam presos por coleiras e tenham suas fezes recolhidas pelos donos de maneira adequada.