SAÚDE

Funcionários da Upa Norte paralisam atividades por 24 horas

COMPARTILHE ›
Foto: Jaime Júnior / Jornal Conexão Comunidade
Foto: Jaime Júnior / Jornal Conexão Comunidade

Um protesto paralisou o atendimento por 24h na Upa Norte, desde a 0h desta terça (5), o atendimento está limitado. O protesto também atinge a UPA do Sul da Ilha.

Os pacientes que chegam a unidade de pronto atendimento são encaminhados a Postos de Saúde dos bairros. De acordo com um funcionário da Upa Norte, somente atendimentos de urgência e emergência serão atendidos durante o protesto. Na Upa Norte também funciona a policlínica e o laboratório municipal. O atendimento nesses dois locais estão normal.

O motivo da paralisação segundo o Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal de Florianópolis (Sintrasem), é pela regulamentação dos plantões e contra a precarização do trabalho.

Os profissionais afirmam que precisam realizar mais plantões por conta da falta de médicos e que a prefeitura estaria descumprindo um acordo verbal firmado durante a greve no início deste ano.

Na semana passada um paciente ficou irritado com a falta de atendimento, derrubou materiais, remédios e equipamentos no chão, a Polícia Militar precisou ser acionada.

A Secretaria emitiu uma nota para explicar que a regulamentação dos plantões já foi enviada à Câmara de Vereadores.

Diz a nota: “A Prefeitura de Florianópolis informou que a reivindicação dos médicos das UPAs, regulamentação de plantões, já foi enviada para a Câmara de Vereadores em outubro, conforme combinado e comunicado com os profissionais da saúde. O protocolo segue anexo. Agora, é necessário aguardar a tramitação da matéria e aprovação por parte dos vereadores. A Prefeitura reitera que paralisar os serviços de nas UPAS prejudica a população e não colabora para a resolução do problema”.

O presidente do Conselho Local de Saúde de Canasvieiras, Adélio Costa, afirmou que o protesto acontece alheio ao Conselho e que os servidores deveriam ter ido à reunião para fazer as reivindicações.

Ele disse ainda que todas as reivindicações do Conselho de Canasvieiras, do qual a Upa Norte faz parte estão sendo atendidas na medida do possível.
“Temos reivindicado a recolocação dos médicos, a compra do novo aparelho de RX que deve ser entregue no início de 2018 e uma reforma na sala que deixava a desejar”.

Leia também:

Paciente reclama falta de equipamentos na Upa Norte

Paciente quebra materiais na Upa Norte por falta de médicos