REPORTAGEM EXCLUSIVA

Família diz que empreiteira não avisou sobre acidente com operário soterrado

Esposa, filhos e sogros moram em Intanhaém, litoral sul de São Paulo, e se desesperaram ao saber do acidente por terceiros

COMPARTILHE ›
Trabalhador é soterrado em vala durante obra de ampliação do esgoto
Fotos: Emanuel Soares / Jornal Conexão Comunidade

A família de Nílio Lucas Cordeiro, de 38 anos, operário que foi soterrado durante o assentamento de canos na obra de expansão do sistema de esgoto na Praia do Santinho, reclama que o Consórcio Trix-Infracon, responsável pela execução, não telefonou para avisar sobre o que havia acontecido. Após um colega informar os familiares, esposa e filhos ficaram desesperados ao saber e não ter informações sobre o estado de saúde da vítima. O Conexão fez contato duas vezes com o consórcio Trix-Infracon que não se manifestou até o momento.

LEIA MAIS:
– Trabalhador é soterrado em vala durante obra de ampliação do esgoto

– VÍDEO: Veja imagens do resgate do trabalhador soterrado em vala
– Terreno arenoso havia suspendido obra do esgoto em outra rua do Santinho

Ele está internado em um hospital de Florianópolis com fraturas em cinco costelas, resultado do soterramento que sofreu após o desabamento de uma laje e das paredes da vala onde colocava o encanamento. A sogra de Nílio foi em busca de informações junto a empreiteira e contou que eles se isentaram da responsabilidade.

“Não avisou nada. Eu tô acabando de vir lá do escritório e a a moça que me atendeu lá falou que a firma não tem responsabilidade e não tinha nada que ver com isso. Aí eu falei pra ela que se trazer ele pra cá (Intanhaém), a gente pode cuidar e dá assistência. Ir pá lá (Florianópolis) não tem como. Eles tem que trazer ele. Daí ela falou que vai ver amanhã, quando tiver alta, se trás de carro ou uma ambulância”, contou Alice, sogra de Nilio.

Trabalhador é soterrado em vala durante obra de ampliação do esgoto
Fotos: Emanuel Soares / Jornal Conexão Comunidade

A família garante que, desde o acidente, o Consórcio Trix-Infracon não avisou nada e que ficaram sabendo pela imprensa do que havia ocorrido na Praia do Santinho. A família mora em Intanhaém, litoral sul de São Paulo, distante 110 quilômetros da Capital. Nílio tem quatro filhos.

O socorro ao homem foi feito pelos moradores da Servidão Leão Marinho, Servidão Ana Rita de Jesus, além dos colegas. Ele foi levado ao hospital pelo helicoptero Arcanjo, do Corpo de Bombeiros.

A Casan informou no sábado que a responsabilidade é da empresa contratada para a execução das obras. O Conexão entrou em contato duas vezes com o Consórcio Trix-Infracon para esclarecer os motivos da falta de comunicação com a família, e um dos responsáveis pela obra afirmou que a assessoria entraria em contato. Até às 15h, o Conexão não recebeu nenhum retorno da empresa Trix.

CONTATO COM FAMILIARES

O contato de Nílio com a família ocorreu após ele, no hospital, conseguir um telefone emprestado. Numa ligação, ele contou os detalhes. Sob efeito de fortes medicamentos contra a dor, a sogra contou que ele estava desorientado. A família quer que a vítima seja transportada para a cidade do litoral paulista, para que seja tratado.