Emanuel Soares: “Ônibus superlotados, poucos horários e descaso com o cidadão”

[email protected]

COMPARTILHE ›

Emanuel Soares Colunista Digital

Gean pega ônibus no Norte da Ilha para conferir qualidade do transporte
Foto: Bruno Oliveira

O transporte público é um problema em Florianópolis há muitos anos. Ônibus superlotados, poucos horários e descaso com o cidadão. Isso não é de agora, mas de muito tempo. Durante a campanha eleitoral, o prefeito Gean Loureiro tomou o ônibus do Rio Vermelho, na praça do bairro e ouviu as reclamações dos usuários dos coletivos que circulam entre os bairros e o Terminal Canasvieiras (Tican). Após tomar posse, o prefeito repetiu o ato acompanhado dos secretários só que na linha Costa do Moçambique, que também passa pelo Travessão no Rio Vermelho. As reclamações foram as mesmas.

Os passageiros continuam com as mesmas reclamações que foram novamente reportadas ao prefeito na semana passada, durante o ato que vai permitir a legalixação das ligações de luz e água na cidade. Mesmo depois da contratação do Consórcio Fênix, o serviço não mudou para as regiões mais distantes do centro. Os moradores também aguardam anciosos a implantação de mais horários diretos até o Centro da Capital, promessa de campanha do mandatário.

Lideranças comunitárias lutam há anos por mais horários de ônibus em Ratones e a implantação do amarelinho, pelo menos duas vezes por dia. Coisa simples que pode ser resolvida em um canetaço. As viagens também são poucas para aquelas pessoas que moram entre Canasvieiras e Jurerê, além do trecho Norte de Ingleses que só tem viagens de hora em hora da linha Gaivotas.

Quem mora na Rua dos Tubarões, no limite entre Ingleses e Santinho, também não conta com ônibus. Os coletivos passam apenas na Estrada Onildo Lemos ou na Dom João Becker, deixando essa região sem um auxílio de transporte. Em dias de chuva, a situação é mais difícil.