Editorial: Contra o aumento de salários dos vereadores e do prefeito da Capital

COMPARTILHE ›

A Capital vive uma crise sem precedentes. A cidade não tem dinheiro para absolutamente nada. Obras de calçamento de ruas, iniciadas pela Prefeitura de Florianópolis, foram paralisadas em vários pontos do Norte da Ilha. A justificativa dada pelo poder público é a falta de dinheiro. Pois bem, o reajuste para os vereadores, que está em tramitação, prevê aumento líquido de R$ 637 reais, mais R$ 500 de telefone.

Os aumentos estão previstos para a gestão de 2017 até 2020. O texto diz que o salários serão fixados. Enquanto muitos brasileiros ganharam reajustes que chegam a R$ 10 reais por mês, os vereadores tem nas mãos um reajuste de mais de R$ 1 mil nos próprios salários.

Já o prefeito eleito, Gean Loureiro, poderá ter um aumento de R$ 1 mil no salário que vai bater os R$ 25,6 mil. Enquanto isso, a saúde sofre com a falta de recursos que atinge diretamente o cidadão. O próximo prefeito se posicionou contra o projeto de reajuste.

O Jornal Conexão Comunidade é contra o aumento de salários dos vereadores e do prefeito da Capital. É imoral aprovar isso em tempos de crise. A câmara precisa ter a consciência de que esses valores totais que chegam próximos de R$ 2 milhões de impacto nos cofres públicos, o que inclui o aumento salarial para o vice prefeito e secretários, deve ser usado para as obras públicas que estão paradas, para as ruas que alagam em tempos de chuva, para a fiscalização de esgoto…

Porém, nenhum dos parlamentares ousou apresentar um projeto para que esse dinheiro seja investido nas principais deficiências da Capital. O legislativo e o executivo, que mal nos representam, não precisam de aumento salarial. Precisam é, pelo menos, justificar o que ganham, coisa que não ocorre.

Os projetos saíram da ordem do dia da Câmara e voltam dia 21 ao plenário para votação, data em que os moradores da cidade devem se posicionar contra ao que consideramos imoral.