Dr Dinarte: “Não suporto pessoas com seus guarda-chuvas embaixo de marquises”

drdinarte@jornalconexao.com.br

COMPARTILHE ›

colunista-banner-drdinarteguarda-chuva-marquise-abasA chuva propicia cenas maravilhosas de serem analisadas. Não tenho guarda-chuva e acabo me molhando. É por opção própria? Sim!

Como não tenho guarda-chuva, procuro andar embaixo de abas e marquises. Até aí, tudo bem já que não sou o único que não possui o equipamento de proteção. Agora, não suporto as odiosas pessoas com seus guarda-chuvas pontudos que andam embaixo de abas e marquises. É lamentável! O sujeito caminha com seu “guarda-chuva” como uma arma, quase espetando no olho de outro, molha as pessoas e passa fazendo isso como se nada mais fosse importante no planeta terra. Se liga, cara pálida!

Guarda-chuva foi feito para andar na chuva. O pior é que se você aborda quem anda com ele nos locais cobertos, as mais diferentes desculpas são possíveis de ouvir. Mas, como na atual condição de mundo as pessoas estão cada vez mais desligadas da realidade, acabam cometendo esse erro de forma inconsciente e que me custa roupas e sapatos molhados e quase um olho furado.

Aliás, se é que o guarda-chuva é dela mesmo. Existem pessoas que adoram passar a mão no guarda-chuva alheio. Tem uma piadinha que diz que um Homem estava tomando cerveja num bar, quando chega um sujeito dizendo:
– O senhor esteve aqui há três meses!
– Pode ser, mas como você tem certeza disso?
– Reconheci seu guarda-chuva!
– Há três meses eu nem tinha esse guarda-chuva!
– Mas eu tinha!

Guarda-chuva não funciona em locais cobertos. Seja educado(a) e gentil. Deixo pra vocês uma inspiração de 1952 – “Singin’ in the Rain”.