Dr Dinarte: “As tragédias que viralizam fazem parte do pós-modernismo”

drdinarte@jornalconexao.com.br

COMPARTILHE ›

colunista-banner-drdinarteAs tragédias que viralizam fazem parte do pós-modernismo. Foi assim que aconteceu com o vídeo da mulher que ‘se jogou’ da Ponte Hercílio Luz. As cenas são repugnantes, lamentáveis e milhares de pessoas receberam a imagem pelo WhatsApp que rapidamente viralizou.

O ponto que desejo chegar é o comportamento humano. Hoje vemos na tela da televisão ou na internet bombardeios e guerras como se fosse normal. As pessoas estão morrendo, mas é apenas uma imagem… Vejo que desde os atentados de 11 de setembro, quando a tragédia foi vista ao vivo pela TV, as pessoas mudaram o comportamento. Praticamente ninguém mais se choca vendo a imagem de alguém se atirando de uma ponte, por exemplo.

Tudo isso faz parte de um novo comportamento do pós-modernismo. Isso não precisa apenas estar relacionado a arte, mas ao comportamento também. O pós-modernismo é como se fosse um filho rebelde que aceita qualquer coisa nova. A tragédia filmada é uma coisa totalmente nova. Então, é apenas uma imagem, distante de nós, que chega no telefone via WhatsApp. Vemos e deletamos num clique.

Os princípios humanos estão ficando no passado. Aquela filosofia dos ‘velhos’ de não ver isso ou se chocar muito quando uma tragédia ocorre, está no passado. O filho rebelde (pós-modernismo) se adpta a qualquer coisa, qualquer fato ou qualquer ambiente.

Isso é o futuro e não dá pra lutar contra ele.