APÓS AS RESSACAS...

Defesa Civil nacional libera R$ 1 milhão para recuperação das praias

COMPARTILHE ›
Foto: Bruno Oliveira
Foto: Bruno Oliveira

A Defesa Civil nacional confirmou ao prefeito Gean Loureiro a liberação de R$ 1 milhão para a recuperação das praias que foram declaradas em emergência. Os estragos em Ingleses, Canasvieiras e Praia Brava foram apresentados numa reunião no fim da manhã desta quarta-feira (27). Acompanhado do senador Dário Berger, o prefeito entregou um levantamento de todos os prejuízos causados pela ressaca nos balneários de Florianópolis.

LEIA TAMBÉM:
– Prefeito faz vistoria dos estragos causados pela ressaca no Norte da Ilha
– Posto guarda-vidas ameaça desabar na Praia de Canavieiras
– 12 FOTOS: Maré baixa e estragos da ressaca ficam evidentes na Praia dos Ingleses
– Muros deveriam ser retirados para plantar restinga, diz oceanógrafo
– Solo racha próximo ao deck dos Ingleses por causa da ressaca do mar

O dinheiro será usado para a recuperação dos danos causados ao acessos às praias, recuperação da iluminação pública, recolhimento de escombros e reparos em equipamentos públicos que podem ter sido danificados.

“Já temos a confirmação da liberação de R$ 1 milhão de reais pra obras que vão ser realizadas de maneira imediata. A gente quer vencer a burocracia. Estamos aguardando o governo do Estado homologar o decreto de emergência. Já existe a decisão política da liberação dos recursos pra remoção de todos os entulhos e limpeza de todas as praias, recolocação de toda iluminação pública que foi destruída, reconstrução dos acessos pras praias”, diz o prefeito.

Sobre a homologação do decreto de emergência nas praias, o Conexão fez contato com a Defesa Civil de Santa Catarina que ainda não enviou resposta sobre prazos para que isso ocorra.

SAIBA MAIS

As ressacas atingem os balneários do Norte da Ilha em Florianópolis desde o início de maio, quando a prefeitura decretou situação de emergência pela primeira vez em virtude dos estragos. Em agosto, o movimento das ondas se intensificou na costa de Florianópolis e os estragos foram ampliados. A ressaca ocorreu por muitos dias seguidos, até o mês de setembro.

Em Canasvieiras, postes caíram, ondas causaram uma enorme erosão em barrancos engolindo árvores, muros e bancos. Já em Ingleses, dezenas de construções localizadas no sul do balneário foram afetadas.