Cristiano Vieira: “Quem não olha para trás nunca saberá aonde está!”

contato@jornalconexao.com.br

COMPARTILHE ›

cristiano-banner-colunista-site-topoMuitos não olham para trás porque acreditam que o que passou, passou, que por não voltar mais não pode ser alterado ou corrigido e automaticamente se torna inútil.

Lamento por aqueles que pensam assim, sentimento covarde daqueles que conseguem apenas sentir vergonha do que passou. Olhar para trás deveria ser sinônimo de aprendizado.

Não se aprende com erros e acertos, aprende-se com o passado! Deveríamos ter orgulho de tudo que aprendemos, mas é comum transformarmos aprendizado em sentimento, seja de raiva, vergonha e até mesmo orgulho…e aí não aproveitamos a melhor oportunidade que o tempo nos oferece.

O que o tempo nos oferece chama-se experiência! Experiência pode definir o conhecimento avançado sobre determinado assunto ou apenas a fase crucial de um método experimental, a diferença está justamente na maneira que você lida com ela.

Eu, particularmente, tento lidar sempre como fase crucial de um método experimental, como um experimento, um teste que estou fazendo para o futuro.

Não existe presente ou futuro sem passado, mas existe passado e presente sem futuro.

Vamos para a prática, em uma negociação, costumo dizer que algumas das ferramentas mais importantes são o papel e a caneta, porque devemos anotar todas as informações que o cliente nos fornece desde o primeiro momento, até mesmo porque quando se inicia o segundo momento o primeiro se tornou passado e não devemos confiar ao passado apenas a nossa memória.

O cliente nos fornecerá nos primeiros momentos os motivos pelo qual ele irá comprar, mas se após esbanjarmos conhecimento do produto e dominar a técnica de apresentação não identificarmos ou não lembrar os motivadores de compra deste cliente, esqueça a venda, contente-se com a satisfação de ter feito uma excelente apresentação, culpe o cliente pelo não fechamento e dê adeus à sua comissão.

Ou seja, mesmo recente, passado é passado, a lição estava ali e se você tivesse aprendido, a venda estaria concretizada. Estas são lições tão recentes como o passado citado, porém as lições mais complexas e reflexivas que podemos tirar de um passado distante?

Podemos olhar o passado e lamentar, podemos ter vergonha ou orgulho… Mas não importa o que vemos e sim o que fazemos, como fazemos…

É impossível saber até onde você chegou sem saber de onde partiu. Isto é passado, aprendizado e referência.

Boa Reflexão!