GUERRA DE FACÇÕES

Cova clandestina seria usada para execução de traficantes na Papaquara

COMPARTILHE ›

Este slideshow necessita de JavaScript.

Policiais do 21º Batalhão da Polícia Militar descobriram nesta quinta-feira (25) uma cova clandestina que seria utilizada para enterrar dois traficantes na comunidade da Papaquara no Norte da Ilha. Após a execução, os corpos seriam enterrados no buraco aberto por membros de uma facção criminosa rival. No local dos buracos, estavam uma enxada e uma picareta que foram utilizadas no trabalho de abertura da cova.

A investigação vai apurar ainda quem seriam os traficantes mortos que seriam depositados nesse local. Segundo o Tenente-coronel Sinval Santos da Silveira Júnior, comandante do 21º batalhão da Polícia Militar do Norte da Ilha, as covas seriam usadas para a execução do que considerou ‘desafetos’ de uma facção rival.

Na mesma operação, o comandante comentou que uma submetralhadora foi apreendida e ela seria utilizada no crime de execução dos traficantes na Papaquara. A polícia está em alerta, após a desarticulação do crime.

A descoberta faz parte da operação Cérberus, que na mitologia grega significa um monstruoso cão de três cabeças que guardava a entrada do mundo dos mortos deixando as almas entrarem, mas jamais saírem e despedaçando os mortais que por lá se aventurassem. A operação acontece com o reforço de policiamento nas regiões conflagradas do Norte da Ilha em Florianópolis com o apoio de efetivo vindo do interior do Estado.