REPORTAGEM EXCLUSIVA

Construção do novo reservatório de água do Norte da Ilha está paralisada

Objetivo da Casan de colocar o reservatório em operação durante o verão está sob ameaça de uma disputa imobiliária que envolve uma área de preservação ambiental

COMPARTILHE ›

banner-verao-sai-caro

Uma das obras fundamentais para o abastecimento de água durante a temporada de verão está paralisada por tempo indeterminado devido a uma disputa imobiliária. Uma pessoa que se diz dona da área no Morro do Maurício, obteve liminar pedindo a suspensão temporária da construção do reservatório vitrificado de R$ 2,8 milhões. O objetivo de colocar o reservatório em operação durante a temporada de verão está sob ameaça. Os desdobramentos da briga judicial que envolve a Casan deve ocorrer nos próximos dias. O local onde será construído o reservatório é uma APA (Área de Preservação Ambiental). Segundo a Casan, a Procuradoria Jurídica da empresa está trabalhando para mostrar à Justiça que a área tem outros donos. Por ser área de preservação, a Casan afirmou ao Jornal Conexão Comunidade (JCC) que o “local só pode ser usado com finalidade pública”.

Com uma futura capacidade de armazenar 3 milhões de litros de água, o reservatório vitrificado da Praia dos Ingleses teve obras iniciadas ainda em agosto, quando ocorreu a fase de escavação em rocha para construção da base de concreto armado. Associando essa unidade de reserva a outras já existentes no Norte da Ilha, a CASAN chegará a 8,8 milhões de litros de armazenamento para a região, um incremento de 52%. Com a ameaça de ser finalizada apenas em fevereiro, a obra possui prazo de execução de três meses.

Para evitar impactos como a falta de abastecimento de água, a Casan traçou um planejamento de emergência que inclui a locação de caminhões-pipa para eventuais falhas no abastecimento. Em caso de falta de energia, 25 geradores entram em operação. Eles serão espalhados pelos pontos de captação de água localizados na região da Grande Florianópolis. Serão investidos mais de R$ 50 milhões na Operação Verão para garantir um abastecimento de água tranquilo a moradores de Florianópolis e aos visitantes.

A Casan vai colocar em ação uma campanha para orientar que a capacidade dos imóveis seja respeitada, além de estimular a instalação de reservatórios privados, de tamanho adequado á capacidade das residencias ou prédios, e a economia de água.

ESGOTO
Ainda estão pendentes as obras para a regularização do afundamento da Rua das Gaivotas em frente a Estação Elevatória de Esgoto da Casan. As obras estão paralisadas por causa da chuva após inúmeras promessas de retomada. No local, servidores da empresa confirmaram que a rede cedeu e para efetivar o reparo, o trânsito será bloqueado no local para a abertura de um buraco de quatro metros de profundidade. Quanto as ligações irregulares, a fiscalização, segundo a Casan, diz respeito ao programa “Floripa se liga na rede” que está sendo comandado pela Prefeitura de Florianópolis.

HISTÓRIA
A falta de água ou o rodízio no abastecimento são problemas históricos dos bairros do Norte da Ilha. Uma das promessas deste verão é de ter água menos turva nas torneiras, diferente da última temporada. Na ocasião, a Casan culpou a “quantidade de temporais” que ocorreram nos meses de calor, já que a água chegava om galhos, folhas e barro, aumentando o tempo de tratamento.

FISCALIZAÇÃO
Quem for vítima da falta de abastecimento de água durante o verão, pode realizar denúncia junto a ouvidoria da Agência Reguladora de Serviços de Saneamento Básico do Estado de Santa Catarina que tem a função de fiscalizar e orientar a prestação dos serviços públicos de saneamento básico. O contato com a autarquia pode ser realizado pelo site ou pelo telefone (48) 3665 4350.