IMPASSE

Comunidade de Ratones quer ações urgentes contra estação de tratamento de esgoto

Obra está paralisada por decisão da própria empresa, garantiu a Rotária do Brasil

COMPARTILHE ›
Foto: Associação de Moradores
Foto: Associação de Moradores

Após o protesto com 200 pessoas que ocorreu no sábado (25), a comunidade de Ratones vai colher assinaturas para impedir que uma estação de tratamento de esgoto seja instalada no bairro. A obra é da Rotária do Brasil, empresa instalada em Santo Antônio de Lisboa, e será usada exclusivamente para receber esgoto recolhido por caminhões limpa fossa. A obra está paralisada por decisão da própria empresa, garantiu a Rotária do Brasil, idealizadora do projeto.

O documento com as assinaturas será encaminhado para órgãos estaduais, municipais e federais, pedindo a punição aos responsáveis pela obra. A comunidade tem medo de que a obra possa poluir o Rio Ratones. “ICMBio fez um laudo técnico colocando que aquele lugar não é adequado para instalar a estasção”, disse o presidente da Associação Comunitária de Ratones, Flávio De Mori.

As obras foram paralisadas nesta semana. O líder disse que a guerra será para cancelar e “sepultar” o empreendimento no local. “Não somos contra a obra de estação, mas sim contra o local em que ela está sendo colocada”, afirmou Flávio.

Nilda Oliveira, presidente do Conselho Comunitário de Ratones, disse que a organização está indignada. Ela questiona como isso foi implantado na comunidade, sem que eles ficassem sabendo.

Cristopher Platzer, sócio da Rotária do Brasil, empresa que executa a obra, garantiu que a estação teve uma paralisação nos trabalhos por decisão da própria empresa, já que nenhuma notificação ordenando a paralisação chegou. “O efluente tratado será infiltrado no solo ao redor da estação, entrando na napa freática. O tratamento será de 95 a 99%. Temos experiência nisso e não terá mau cheiro no local.

A empresa está tentando um contato com os moradores para explicar o projeto, mas ainda não conseguiu.