EDUCAÇÃO

Alunos e pais denunciam superlotação de salas de aula no Herondina

Faixa de protesto foi mostrada no auditório da escola durante a visita do Prefeito César Júnior e de um representante do Ministério da Educação

COMPARTILHE ›

Alunos e pais estão denunciando a superlotação de salas de aula na Escola Herondina Medeiros Zeferino, a maior da rede pública municipal. O ponto principal do protesto ocorreu no dia do lançamento da campanha contra a dengue na rede municipal onde uma faixa foi exposta no auditório da escola durante a visita do prefeito César Souza Júnior e de um representante do Ministério da Educação.

Uma portaria da própria prefeitura limita a quantidade de alunos por sala, sendo 25 alunos na 1ª e 2ª série. De 3ª ao 5ª ano são 30 alunos e até ao 9º ano são 35 estudantes. Na escola Herondina existem 22 turmas com alunos a mais do que o previsto. O presidente do grêmio estudantil é o Gabriel Mateus Leon. Ele tem 16 anos e reclamou da situação. “Na minha sala tem 36 alunos. Em outras tem quase 40, quando o ideal é 35”.

A Secretaria Municipal de Educação argumenta que está dentro da lei. O secretário Rodolfo Pinto da Luz admite que algumas salas podem ter mais alunos do que o previsto em documento. Segundo ele, existe uma demanda grande e depois que se atinge um limite de 40 alunos, se divide a turma.

“Nenhuma sala tem a mais do que a portaria permite. Podemos chegar a 39, sim! A maioria não tem 39, tem 25 alunos, 26 ou 27. Só que a demanda do Norte da Ilha é maior que a nossa capacidade de realizar imediatamente”, afirmou o Secretário.

O secretário acrescentou ainda que está em fase de projeto a construção de oito novas salas de aula na escola Herondina. Além disso, uma nova escola está sendo construída em Ponta das Canas e já está ocorrendo a ampliação da escola Maria Conceição Nunes no Rio Vermelho.